14/09/2021 às 21:50 Gestante

Alimentação na gravidez: Guia de alimentação saudável para gestantes 

52
6min de leitura

A alimentação saudável da mulher na gravidez é muito importante para o bom desenvolvimento do bebê e para manutenção da saúde materna e o controle do ganho de peso da gestante. Portanto como deve ser de fato a alimentação da gestante?

A Alimentação para gestante precisa suprir todas as necessidades nutricionais dela e do bebê, e não, isso não significa que você precisa "comer por dois", mas você precisa comer melhor e ter mais qualidade na sua alimentação!

E nesse blog irei te falar tudo sobre alimentação na gravidez para que você possa suprir todas as necessidades nutricionais da gestação de maneira fácil!

A importância da alimentação saudável na gestação:

O bebê recebe uma serie de substancias do organismo da mãe pelo cordão umbilical; Sangue, oxigênio e nutrientes como também pode receber toxinas... E é por isso que mulheres gravidas não podem consumir álcool em excesso!

Portanto já deu para entender que a alimentação na gestação é muito importante né! Porem a alimentação saudável também é muito importante para a mãe, refeições balanceadas e saudáveis ajudam a lidar com desconfortos que afetam a qualidade de vida na gestação!

E uma alimentação saudável é um importante instrumento para prevenção de problemas como pré-eclâmpsia, a diabetes gestacional e a anemia.

Uma boa alimentação melhora os desconfortos da gravidez?

Sim!! A alimentação saudável é uma aliada na hora de lidar com desconfortos típicos da gestação, como; enjoos e constipação.

Os enjoos podem durar desde o inicio da gravidez até o finalmas geralmente podem acabar na 12° semana da gravidez. Falamos mais sobre enjoos na gravidez nesse blog vai lá conferir! E a constipação vai se tornando mais comum a medida que a gravidez vai avançando.

Necessidades nutricionais das gestantes:

Tendo em vista que há um trabalho duro do organismo materno para gerar uma vida! Você mamãe precisa ter muita atenção aos nutrientes que são extremamente importantes em todas as suas refeições como o ácido fólico que é essencial para o desenvolvimento embrionário e o ferro que garante que a mamãe não desenvolva problemas de saúde, como anemia.

Veja abaixo uma lista de nutrientes que você deve introduzir nas suas alimentações;

  • Ácido Fólico: tem importante participação na formação do tubo neural do bebê
  • Carboidratos: são grandes fontes de energia e, por isso, essenciais para que o organismo dê conta do desenvolvimento do bebê.
  • Cálcio: é um aliado da formação óssea do bebê. Além disso, previne o aparecimento de hipertensão gestacional
  • Ferro: é o grande responsável pela prevenção de anemia. Isso porque, a partir do 2º trimestre, a mulher tem um aumento no volume sanguíneo e precisa suprir a demanda de glóbulos vermelhos.
  • Fosforo: também está associado à formação óssea do bebê e tem papel importante na boa saúde do corpo da mãe.
  • Proteínas: são essenciais para a formação dos hormônios. Além disso, são elas que fornecem ao bebê os aminoácidos que ele precisa para se desenvolver.
  • Vitamina A: está associada à saúde da visão, tanto da mãe quanto do bebê. Além disso, é importante para o crescimento e também auxilia no desenvolvimento dos órgãos e da pele.
  • Vitamina B6: está associada ao desenvolvimento do sistema nervoso do bebê.
  • Vitamina C: a melhor amiga da imunidade também tem outra função importante no organismo. É a vitamina C que auxilia na absorção de ferro, ideal nessa fase. Por isso, vale a pena sempre tomar um suco de limão, laranja ou tangerina junto às refeições
  • Vitamina D: se a vitamina C ajuda a absorver ferro, a D faz o mesmo com o cálcio. 

Nossa é bastante coisa né gente! Pois esses nutrientes são muitos importantes tanto para o desenvolvimento do bebê quanto para a sua saúde, mas calma! que logo abaixo citarei as funções de cada um desses suplementos para sua saúde e a do bebê...

Primeiro trimestre:

No inicio da gravidez, o desenvolvimento do bebê está na fase mais sensível e delicada. Nessa fase que se forma as principais estruturas do bebê, como o cérebro, tubo neural e a base da medula espinhal. E o ácido fólico vai ser extremamente importante para que não ocorram más formações.

Por isso é muito importante tirar um momento para focar na suplementação indicada pelo seu obstetra. E aposte nos vegetais de folhas verde-escuras, como a couve e o brócolis. Essa tonalidade indica que o alimento é rico em ácido fólico.

Segundo Trimestre:

Aqui os órgãos do bebê já estão quase formados e agora a atenção recai sobre a formação óssea do bebê. E o ideal é programar alarmes no celular para se lembrar de ingerir leite e derivados várias vezes ao dia, pois eles são grandes fontes de cálcio.

Também é nessa fase que há o aumento no volume sanguíneo da mãe, com o risco de desenvolver deficiência de ferro. Para evitar o problema, carnes vermelhas e feijão estão entre os alimentos ricos nesse nutriente. Para ajudar na absorção pelo organismo, a vitamina C vai bem. Então, vale a pena apostar nas frutas cítricas..

Terceiro Trimestre:

Na reta final, o bebê já está praticamente perfeito. Ele precisa acumular gordura para poder viver fora da barriga da mamãe. Como o foco do seu organismo será engordar a cria, cuidado: você pode sentir uma “fome de leão”!

Por esse motivo, esse é o momento de redobrar o cuidado com as quantidades para não passar do ganho de peso ideal. Ah, agora o útero ficará maior e pode atrapalhar o trânsito intestinal por conta da pressão exercida. Para ajudar, alimentos ricos em fibras e muita hidratação são bem-vindos.

Alimentos Ideais para Gestação:

Até agora, falamos muito sobre nutrientes que devem estar presentes na alimentação da gestante. Mas, convenhamos, é difícil lembrar de todos esses termos, não é? Portanto, vamos ao que mais interessa: Quais alimentos tem que estar na alimentação e quais não devem estar tão presentes assim...

Lista de alimentos que devem estar presente na alimentação:

  • Aveia: uma fonte potente de fibras, ajuda a regular o trânsito intestinal nessa fase. 
  • Carboidratos integrais: os alimentos integrais são ricos em carboidratos complexos que são absorvidos mais lentamente. que é muito bom, já que ajudam a manter a energia e a saciedade por mais tempo.
  • Feijão: o “queridinho” dos pratos brasileiros é um superalimento cheio de proteínas, ferro, cálcio, magnésio e muito mais;
  • Frutas: são bombas de vitaminas. Aposte em laranja, goiaba e tangerina, pela vitamina C, banana, pelo potássio, e mamão, pela vitamina A;
  • Leite e derivados: leite desnatado, queijos curados e iogurtes são ótimas fontes de cálcio;
  • Ovos: alimento rico em vitaminas e minerais, é uma ótima pedida no cardápio das mamães além de baratos, versáteis e gostosos;
  • Proteínas de fonte animal ou vegetal: carnes vermelhas, aves e ovos são fonte proteínas animais. Tofu, quinoa, soja e edamame são fonte de proteínas vegetais;
  • Sardinha: barato e gostoso, esse peixe tem várias vitaminas bem-vindas para a gestante, além de ser rico em ômega-3;
  • Vegetais de folhas verde-escuras: couve, brócolis, espinafre e rúcula e outros vegetais de folhas verde-escuras são ricos em vários nutrientes, inclusive o ácido fólico.

Alimentos que devem ser evitados a medida ou por completo:

  • Açúcar refinado: não só na gravidez, mas em qualquer fase da vida, o açúcar refinado não traz grandes benefícios. É melhor substituí-lo gradativamente por opções mais saudáveis, como o açúcar mascavo ou de coco;
  • Cafeína: por ser estimulante, a cafeína pode elevar os batimentos cardíacos da mãe e do bebê.
  • Queijos maturados: camembert, brie, gorgonzola e outros queijos maturados são proibidos na gravidez por serem feitos com leite não pasteurizado. Por isso, podem transmitir a bactéria Listeria, bastante perigosa na gestação;
  • Carnes mal passadas: sem cozimento adequado, carnes podem causar contaminação pelo parasita causador da toxoplasmose, outro problema perigoso para o bebê em formação;
  • Mariscos e crustáceos: também estão entre os alimentos que não devem ser consumidos na gestação pelo alto teor de mercúrio, que pode causar danos ao bebê.

Por fim tirar todas as duvidas com profissionais quando se trata de um período tão delicado e importantíssimo como este é importante que você sempre consulte seu obstetra ou nutricionista antes de fazer qualquer mudança na sua alimentação!

E para finalizar - Que tal nos seguir lá no Instagram para conferir dicas extras e receber todas as novidades de conteúdos que tiverem por aqui lá nos nossos stories..? clica aqui para ir direto no nosso perfil!





14 Set 2021

Alimentação na gravidez: Guia de alimentação saudável para gestantes 

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Tags

5 dicas para ter uma alimentação mais saudável Alimentação ideal na gravidez Alimentação na gravidez gestação Gestante gravidez Gravidez de semana a semana Guia de alimentação saudável para gestantes Maternidade Nutrição para gestantes Primeiro trimestre da gravidez Segundo trimestre da gravidez

Quem viu também curtiu

07 de Jun de 2017

Dúvidas em como montar o enxoval? Confira as dicas para não se perder nesse momento!

07 de Jun de 2017

Você sabe quais são os principais sintomas da gravidez?

07 de Jun de 2017

No período da gestação e também da amamentação, alguns chás e ervas naturais devem ser evitados!